#11 Os dois principais tipos de introdução em um artigo científico

CONFIRA O VÍDEO COMPLETO NO YOUTUBE

Neste texto, vou falar sobre as duas formas mais comuns de introdução na literatura científica. Vou te dizer qual é a regra de ouro que vai servir de base para a parte inicial do seu trabalho. Ao final, vou te dizer qual é o meu tipo preferido de introdução, e por que eu acho isso. Vamos Juntos?

Existem duas formas básicas, mais comuns, na literatura científica. Dois padrões muito utilizados:

  • Introdução curta (uma página), que vai trazer uma breve contextualização do trabalho, algumas poucas citações, apresentação dos objetivos do trabalho e das perguntas de pesquisa; tudo de uma forma muito rápida e direta;

  • Introdução mais densa, com conteúdo teórico, estendida (2 a 3 páginas), repleta de citações.

Independente do tipo de introdução que você optar, você deverá respeitar a Regra de Ouro. E qual seria a regra de ouro? O início do seu trabalho tem que oferecer suporte para os demais tópicos do seu trabalho. Existe um diálogo, que é natural, entre as partes do trabalho. O início do seu texto deverá estar alinhado com o que vem adiante. Pense sempre nisso!

Se algum conteúdo não estiver oferecendo suporte ao que vem adiante no seu trabalho, pense em descartar esse conteúdo. Não faz sentido escrever sobre um determinado tópico na introdução, se isso não for útil para a discussão dos resultados.

Ok. Agora, vamos detalhar um pouco os dois tipos de introdução.

Introdução curta

A introdução curta é mais comum em textos científicos brasileiros.

Apesar de mais simples e mais fácil de escrever, uma introdução curta geralmente será seguida de um tópico que apresentará as bases teóricas do trabalho. Neste tipo de introdução, você deverá iniciar inserindo um parágrafo que irá apresentar o contexto. O leitor deverá entender com clareza qual é o assunto que será abordado no artigo.

Logo em seguida, você deverá explorar o nicho do trabalho e apresentar qual é a proposta do trabalho. Diga para o leitor quais são os seus objetivos e as perguntas de pesquisa, além de uma breve descrição de qual método será adotado. Ao final, você poderá falar rapidamente como o trabalho está organizado.

Introdução estendida

Opção mais comum em artigos internacionais. Apesar da introdução ser estendida, esta opção deixa a parte inicial do seu trabalho mais direta e mais enxuta, já que elimina a necessidade de um tópico teórico após a introdução. Após a introdução estendida, você já poderá caminhar para a apresentação dos métodos.

Se você optar por esta introdução, coloque na cabeça que uma parte inicial curta (2 páginas ou no máximo 3 páginas), não significa menor densidade de conteúdo. Cite, sem medo de ser feliz, os estudos mais relevantes da área, que vão dar suporte para o seu trabalho. Cada trecho da sua introdução deverá estar amparada por uma, duas ou mais citações relevantes.

A estrutura é basicamente a mesma da introdução curta. Lembre-se do funil que citei em textos anteriores. Mas aqui você terá que aprofundar mais na apresentação do tema e do nicho da sua pesquisa, trazendo um referencial bibliográfico mais denso.

Não existe jeito certo ou errado. Normalmente é uma questão de estilo de redação, que é muito particular dos autores. Independente da opção que você escolher para a parte inicial do seu texto, evite ficar enchendo linguiça. Coloque apenas conteúdo que será realmente relevante para o seu trabalho. Pois você precisará de conteúdo de qualidade no início do artigo que, de alguma forma, dialogará com a discussão dos seus resultados mais no final. Agora, se seu início é ruim.. fica complicado...

Na minha opinião, a melhor opção é a introdução estendida. Porque?

1) Melhor aceita por revistas internacionais;

2) torna a parte inicial do seu trabalho mais enxuta, com o texto mais denso;

3) um início curto e denso, aumenta a chance de os leitores realmente lerem essa parte do seu trabalho (e não pular diretamente para método ou para a discussão dos resultados.

4) na maioria das vezes, elimina a necessidade de inserir um tópico teórico após a introdução, permitindo que autores caminhem diretamente para a apresentação dos dados, métodos ou área de estudo.

Antes de redigir a introdução, vale a pena verificar qual o estilo predominante nas revistas (ou nos anais de eventos) que você deseja publicar. Avalie o estilo de escrita dos trabalhos dessas revistas. Assim, você vai entender melhor o que passa pela cabeça do editor. Gostou das dicas, então assista nossas aulas no Youtube. Até breve!!

© 2018 por Douglas Sathler | Canal Descomplicado | UFVJM